Notícias deslizantes

Menu

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Jesus a caminho da Cruz

Resultado de imagem para Jesus a caminho da Cruz

26. Enquanto o conduziam, detiveram um certo Simão de Cirene, que voltava do campo, e impuseram-lhe a cruz para que a carregasse atrás de Jesus.
27. Seguia-o uma grande multidão de povo e de mulheres, que batiam no peito e o lamentavam.
28. Voltando-se para elas, Jesus disse: Filhas de Jerusalém, não choreis sobre mim, mas chorai sobre vós mesmas e sobre vossos filhos.
29. Porque virão dias em que se dirá: Felizes as estéreis, os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram!
30. Então dirão aos montes: Caí sobre nós! E aos outeiros: Cobri-nos!
31. Porque, se eles fazem isto ao lenho verde, que acontecerá ao seco?
32. Eram conduzidos ao mesmo tempo dois malfeitores para serem mortos com Jesus.
33. Chegados que foram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, como também os ladrões, um à direita e outro à esquerda.
34. E Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem. Eles dividiram as suas vestes e as sortearam.
35. A multidão conservava-se lá e observava. Os príncipes dos sacerdotes escarneciam de Jesus, dizendo: Salvou a outros, que se salve a si próprio, se é o Cristo, o escolhido de Deus!
36. Do mesmo modo zombavam dele os soldados. Aproximavam-se dele, ofereciam-lhe vinagre e diziam:
37. Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo.
38. Por cima de sua cabeça pendia esta inscrição: Este é o rei dos judeus.
39. Um dos malfeitores, ali crucificados, blasfemava contra ele: Se és o Cristo, salva-te a ti mesmo e salva-nos a nós!
40. Mas o outro o repreendeu: Nem sequer temes a Deus, tu que sofres no mesmo suplício?
41. Para nós isto é justo: recebemos o que mereceram os nossos crimes, mas este não fez mal algum.
42. E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim, quando tiveres entrado no teu Reino!
43. Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso.
44. Era quase à hora sexta e em toda a terra houve trevas até a hora nona.
45. Escureceu-se o sol e o véu do templo rasgou-se pelo meio.
46. Jesus deu então um grande brado e disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, dizendo isso, expirou.
47. Vendo o centurião o que acontecia, deu glória a Deus e disse: Na verdade, este homem era um justo.
48. E toda a multidão dos que assistiam a este espetáculo e viam o que se passava, voltou batendo no peito.
49. Os amigos de Jesus, como também as mulheres que o tinham seguido desde a Galiléia, conservavam-se a certa distância, e observavam estas coisas.

Lucas  23,  26-49  Mateus  27,  32-56  Marcos  15,  21-41  João  19,   17-37

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Índice Por Categorias


Carregando...

Google+ Followers